Clarice Alufam começou a desenhar na infância, no interior de Minas, onde dividiu a descoberta das cores com as funções de diretora, produtora e tesoureira do Clube da Amizade, célebre pelos encontros regados a brigadeiro, salgadinho frito e Coca-Cola. Tentou uma incursão pela arte urbana, bastante malsucedida logo de início, pois achou que seria uma boa ideia grafitar o nome de batismo - completo- num muro próximo à sua casa. Foi na kombi da escola, já na adolescência, que descobriu o pandeiro como o seu instrumento e foi através da música brasileira e do pé na estrada, que pôde entender como o Brasil é diverso e cabem tantos países num só. Clarice ilustra suas paixões e suas buscas com leveza e acredita que a vida fica mais bonita através das parcerias estabelecidas.